Skip to main content
Criptomoedas, Altcoins e Tokens

Criptomoedas, Altcoins e Tokens – Definições e Diferenças

Nesta edição vais ficar a saber o que são Criptomoedas, Altcoins e Tokens. E ainda quais as diferenças entre eles e as suas utilidades.

 

O que são Criptomoedas?

 

O nome deriva da junção do termo “cripto” (relativo a criptografia) com o termo “moeda” (reserva de valor e meio de troca). Então podemos dizer que criptomoeda é um tipo de moeda virtual que utiliza criptografia. Esta última serve para garantir mais segurança nas transações financeiras na internet.

 

O termo “criptomoeda” surge com o aparecimento do Bitcoin. Em 2009, alguém usando o pseudónimo Satoshi Nakamoto, cria o Bitcoin como sendo uma moeda virtual e descentralizada, baseada na tecnologia de blockchain e da criptografia, para ser uma alternativa ao dinheiro fiduciário.

 

Desde então, surgiram muitas outras moedas virtuais, com características diferentes mas utilizando também blockchain e criptografia. As criptomoedas que apareceram depois do Bitcoin, podem ser agrupadas em 2 grupo:

  • Altcoins (criptomoedas alternativas)
  • Tokens (fichas virtuais)

 

Hoje em dia, a palavra “criptomoedas” tornou-se um termo lato para nos referirmos ao conjunto de todos os cripto-ativos, sejam o Bitcoin, Altcoins ou Tokens. Todo o tipo de moeda ou ficha virtual que usa criptografia e assenta na tecnologia do blockchain é considerado criptomoeda.

 

O que são Altcoins?

 

Dado que o código fonte do Bitcoin é open-source (código aberto), logo outras pessoas copiaram esse código e fizeram alterações, em termos de características, recursos e protocolos, e criaram assim variantes (fork) do Bitcoin. Ou seja, surgiram as  Altecoins que são moedas virtuais alternativas ao Bitcoin.

 

Cada Altcoin tem o seus código próprio, protocolos próprios e blockchain própria. Não depende de qualquer outra plataforma.

 

Alguns de exemplos de Altcoins: Ethereum, Litcoin, Bitcoin Cash, Cardano, Monero, Dash, NEO, NEM, Zcash, Waves, …

 

O que são Tokens?

 

Se pesquisarmos a tradução de “token, encontramos algo como: símbolo, ficha, prova, penhor, passe, etc. Num contexto monetário, talvez a melhor tradução seja “ficha“. É fácil entender se usarmos, como exemplo, as fichas dos casinos.

 

Tokens (fichas) são a representação de um bem ou utilidade, com um determinado valor, e reconhecida apenas num determinado ambiente. Voltando ao exemplo das fichas de um casino, elas representam um valor monetário mas apenas dentro do casino que as emitiu. Fora dele, essas fichas não têm qualquer valor. Então as fichas do um casino são consideradas tokens desse casino.

 

Um outro exemplo prático da utilização de tokens, são os vales-presentes. Existem lojas que vendem vales-presentes aos seus clientes.  Por sua vez, os clientes podem doar ou oferecer esses vales a outras pessoas que depois poderão fazer compras nessa loja e pagar com esses vales. Esses vales-presentes são considerados tokens dessa loja, porque têm um valor intrínseco reconhecido pela loja, mas não por outras lojas.

 

Alguns exemplos de tokens (no âmbito das criptomoedas): Tether, Binance Coin, Maker, 0x, …

 

 

Criptomoedas, Altcoins e Tokens

 

Qual a Diferença entre Altcoins e Tokens?

 

No ambiente das criptomoedas, Altcoins e Tokens são muitas vezes confundidos. Mas na verdade, existe uma grande diferença. Enquanto uma Altcoin tem os seus próprios recursos (código, protocolos, blockchain), um Token é criado através dos recursos de uma Altcoin. Ou seja, a criação de um Token é muito fácil, porque não é necessário modificar um protocolo em específico ou criar uma blockchain do zero.

 

Basicamente, as Altcoins são moedas isoladas com a sua própria blockchain separada e os Tokens são moedas criadas e operadas em cima de uma blockchain já existente e dependem dos seus protocolos. Por esta razão, é muito fácil criar um Token por qualquer pessoa, dado que não é necessário grandes conhecimentos de programação. Basta escolher um modelo de blockchain – como o Ethereum ou a plataforma Waves – e parametrizar o protocolo de acordo com o objetivo do novo Token.

 

Normalmente, quando se pretende que um token seja divulgado e usado, a nível geral, recorre-se a uma ICO (Initial Coin Offering). Mas também existem tokens que são gerados e operados para determinados nichos ou grupos de pessoas.

 

E agora, fica com o vídeo da edição do CriptoDiário de hoje, onde podes ficar a perceber melhor as diferenças entre criptomoedas, altcoins e tokens.

 

Diferenças entre Criptomoedas, Altcoins e Tokens

 

 

SUBSCREVER CANAL

 

 

És capaz de identificar outros exemplos de Altcoins e de Tokens?

Deixa a tua resposta num comentário abaixo.

 

Forte abraço,
Rui Magalhães

 

AVISO LEGAL: O conteúdo deste artigo NÃO constitui aconselhamento ou recomendação financeira. Trata-se apenas das minhas opiniões pessoais, com finalidade didática. Eu não sou responsável por qualquer decisão tomada por si, especialmente sobre investimentos financeiros. Cada pessoa é livre de tomar as suas próprias decisões e ações mas também é o único responsável por elas. O mercado das criptomoedas é muito volátil e apresenta grandes RISCOS nos investimentos. Eu RECOMENDO que adquira conhecimento sobre o tema, ANTES de efetuar qualquer tipo de investimento nesta área. Esteja consciente dos riscos e das possíveis consequências e NUNCA invista mais do que aquilo que está disposto a perder.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostavas de receber os novos artigos comodamente no teu email?

SUBSCREVE A NEWSLETTER!

Eu não faço SPAM! Receberás apenas novidades deste blog.

Obrigado por Seguires os Meus Artigos!