Skip to main content

GLOSSÁRIO – Criptomoedas

 

 

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z 

 


A

 

Airdrop – distribuição de tokens pelos operadores de uma determinada rede de criptomoeda. Os tokens podem ser dados gratuitamente a todos os titulares da criptomoeda ou podem trocados por um qualquer tipo de atividade, tal como promover a cripto numa rede social.

 

Altcoin – abreviatura de “alternative coin”, que significa “moeda alternativa”. Qualquer criptomoeda que não o Bitcoin.

 

ASIC – abreviatura de “Application Specific Integrated Circuit”, que se refere a um circuito integrado concebido para executar uma tarefa específica. No mundo blockchain, normalmente aplica-se a circuitos integrados (chip) desenvolvidos para funcionarem em computadores para mineração, e são considerados superiores aos CPU e GPU.

 

(ir para o topo)


B

 

Bear Market – tradução: “mercado do urso”. Termo usado quando o mercado financeiro está numa tendência de queda. O urso (bear) ataca com as suas patas de cima para baixo, simboliza um movimento descendente. É o estágio contrário ao Bull Market.

 

Bitcoin – a primeira e mais conceituada criptomoeda. O Bitcoin foi lançado em 2009 como uma moeda digital descentralizada, desenvolvida com tecnologia blockchain. Foi a primeira aplicação prática da tecnologia blockchain. O Bitcoin foi criado por uma pessoa, ou grupo de pessoas, que se identificam sob o pseudónimo de Satoshi Nakamoto.

 

Blockchain – traduz por “cadeia de blocos”. É uma rede de dados descentralizada, construída com base numa cadeia contínua de segmentos de código de tamanho predeterminado (blocos). Funciona como um livro-razão público, partilhado e universal, que através da criptografia, garante o consenso e confiança na comunicação direta entre duas partes (peer-to-peer), ou seja, sem intermediários.

 

Bull Market – tradução: “mercado do touro”. Termo usado quando o mercado financeiro está numa tendência de subida. O touro (bull) atira as suas presas com os cifres de baixo para cima, simbolizando um movimento ascendente. É o estágio contrário ao Bear Market.   

 

(ir para o topo)


C

 

Cold Wallet – tradução: “carteira fria”. Carteira de criptomoedas física (dispositivo hardware ou papel) que não necessita de conexão à internet. Este tipo de carteiras são consideradas as mais seguras para armazenar criptomoedas.

 

Cryptocurrency – tradução: “criptomoeda”. Moeda digital construída sobre a tecnologia de blockchain. Moeda virtual descentralizada que utiliza a criptografia para assegurar as transações e proteger a identidade dos utilizadores.

 

(ir para o topo)


D

 

dApps – termo usado para designar as “decentralized apps” (aplicações descentralizadas). São programas ou aplicativos, em código aberto, que funcionam sob a tecnologia blockchain, sem necessidade de uma autoridade central. O Bitcoin pode ser considerado uma dApp.  

 

DAO – abreviatura de “Decentralized Autonomous Organization” (Organização Autónoma Descentralizada). Esta expressão descreve as organizações que utilizam práticas de blockchain na sua gestão, tais como contratos inteligentes, dispensando a autoridade central.

 

Day Trading – é um tipo de estratégia usada nos mercados financeiros, que consiste em abrir e fechar operações num mesmo dia. Esta estratégia consiste em realizar vários lucros pequenos aumentados com um efeito de alavancagem importante num lapso de tempo muito curto.

 

Digital Assets – tradução: “ativos digitais”. Em contabilidade, um “ativo” representa algo com um valor intrinseco. Se juntar-mos a palavra “digital”, significa algo digital com valor. As criptomoedas são consideradas ativos digitais.  

 

Distributed Ledger – tradução: “livro-razão distribuído”. É um conceito abrangente para definir sistemas distribuidos, com ligações peer-to-peer (pessoa-para-pessoa), onde a informação é igualmente distribuída por todos os nodos, sem necessidade de uma autoridade central. Todas as redes blockchains são consideradas “distributed ledgers“, mas nem todas as “distributed ledgers” são blockchains.

 

Dump – termo usado quando o valor de um ativo cai muito repentinamente. É o contrário de “Pump“.

 

(ir para o topo)


E

 

Exchange – termo usado para definir uma corretora ou casa de câmbio online. É uma plataforma online onde se pode comprar e vender criptomoedas por dinheiro fiduciário, ou para executar trocas entre diferentes criptomoedas. 

 

ERC20 – é um protocolo standard para smart contracts (contratos inteligentes) na rede blockchain do Ethereum, usado para implementações de tokens. ERC é o acrónimo para “Ethereum Request for Comments“, e 20 é o número que foi atribuído a este standard. Basicamente é um conjunto de normas pré-definidas que devem ser respeitadas por quem quiser criar o seu próprio token na blockchain do Ethereum. 

 

(ir para o topo)


F

 

Faucet – no âmbito das criptomoedas, faucets são sites que oferecem gratuitamente pequenas frações de uma determinada criptomoeda em troca de uma pequena tarefa (visitar o site, resolver um captcha, clicar num botão, clicar num anúncio, etc.).

 

Fees – tradução: “taxas”.

 

Fiat – tradução: “fiduciário”. Termo usado para referir-se ao dinheiro fiduciário, ou seja, ao dinheiro real. Por exemplo, o Dólar e o Euro são moedas fiat.  

 

Fomo – é a abreviatura de “Fear Of Missing Out“. Medo de ficar de fora de uma alta valorização da moeda. 

 

Fork – tradução: “bifurcação”. Termo usado quando uma rede blockchain sofre atualizações após um número suficiente de utilizadores acordarem essas alterações. As alterações que mantêm a compatibilidade da rede com as versões anteriores são designadas por soft forks (bifurcações suaves). E as que tornam a rede incompatível designam-se por hard forks (bifurcações fortes). Existem situações em que não existe o consenso da comunidade e então é feito um hard fork em que a blockchain se divide em duas. Uma delas segue o conjunto de regras originais, e a outra aplica as regras novas, de forma irreversível, originando assim uma nova criptomoeda. Foi o que aconteceu no caso da criação do Bitcoin Cash e do Ethereum Classic. 

 

(ir para o topo)


G

 

GigaHash – geralmente usado para medir a capacidade de mineração. 1 GigaHash/s (GH/S) representa 1.000.000.000 de hashs processadas num segundo.

 

(ir para o topo)


H

 

Hash – é um código alfanumérico de tamanho fixo, geralmente no formato hexadecimal, que representa a assinatura digital de uma determinada informação. A hash é gerada por uma função hash (algoritmo de encriptação, por exemplo, o SHA-256) que recebe um determinado conjunto de dados e retorna a impressão digital única desses dados.

 

Hash Power – poder computacional de mineração. É a capacidade de uma mineradora ou equipamento de mineração usado para criar e manter blocos numa blockchain.

 

Hash Rate – é o rácio entre o número de hashs processadas num determinado período de tempo. O hash rate mede-se em hash/segundo (Hash/s). Atualmente, os equipamentos de mineração mais sofisticados já conseguem ter um hash rate na ordem dos 50 TeraHash/s (1.000.000.000.000 hashs por segundo).

 

Hodl – trocadilho do termo “Hold“, com o mesmo significado. Este termo passou a ser muito utilizado pelos entusiasta das criptomoedas, depois de um utilizador ter escrito erradamente num fórum a palavra “hodl” em vez de “hold“. 

 

Hold – tradução: “segurar”. No âmbito das criptomoedas, hold significa segurar (guardar) o ativo e esperar pela sua valorização.

 

Hot Wallet – tradução: “carteira quente”. Carteira de criptomoedas que funciona em dispositivos com conexão total ou parcial à internet. Neste tipo de carteiras encontra-se as Desktop Wallets (carteiras instaladas num computador), as Mobile Wallets (carteiras para smartphones ou tablets) e as Online Wallets (carteiras na web).

 

(ir para o topo)


I

 

ICO – é a abreviatura de “Initial Coin Offering” (Oferta Inicial de Moeda). É uma oferta ou pré-venda de uma determinada altcoin / token. Trata-se de uma técnica de marketing usada para captar investimento. Consiste em vender ou dar a conhecer uma determinada moeda, em que esta é disponilibizada antes do seu lançamento oficial e sem valor no mercado, mas com vista à sua valorização no futuro.   

 

(ir para o topo)


J

 

(ir para o topo)


K

 

KYC – abreviatura de “Know Your Customer” (Conheça o Seu Cliente). É uma condição que muitas entidades exigem às pessoas e empresas, para assegurarem a veracidade das suas identidades. Basicamente consiste em comprovar os dados e documentos dos clientes. Estes procedimentos são utilizados para evitar ou proteger contra fraudes financeiras, lavagem de dinheiro e outras práticas criminosas.

 

(ir para o topo)


L

 

Lending – termo usado na área financeira para o ato de emprestar uma determinada quantidade de um ativo, em troca de juros periódicos. 

 

Lightning Network – é o nome de uma tecnologia concebida para reduzir significativamente o tempo de processamento de transações na rede blockchain do Bitcoin. Consiste numa solução off-chain, de “segunda camada”, para realizar transações sem utilizar o blockchain subjacente, abrindo canais de pagamento bilaterais entre diferentes indivíduos, e permitindo que muito mais transações sejam processadas por segundo.

 

Long – termo usado no trading que significa apostar na alta valorização de uma moeda.

 

(ir para o topo)


M

 

Market Cap – representa o valor de mercado.

 

Miner – tradução “minerador” ou “mineiro”. No âmbito das criptomoedas, é aquele que através de poder computacional (prova de trabalho) valida e mantém os blocos numa rede blockchain. Os mineradores dedicam poder computacional (hash power) para resolver problemas matemáticos. Por este trabalho, o minerador recebe uma recompensa, caso seja o primeiro a encontrar a solução para o problema matemático e registá-lo num novo bloco para que todos os outros minerares concorrentes possam validar a solução encontrada. Este processo é denominado por “mineração” e é através dele que são geradas novas moedas.

 

Multi-Sig – abreviatura para “multi-signature” (assinatura múltipla). Termo utilizado quando é necessário o aval de mais do que um titular para se processar uma transação. As carteiras de criptomoedas multi-sig são aquelas que precisam da autorização de 2 ou mais pessoas (chaves privadas) para se efetuar uma transação. 

 

(ir para o topo)


N

 

Node – no âmbito das criptomoedas, um node (nó) é um dispositivo conectado à rede blockchain (ponto da rede), que executa o programa core dessa rede. Um node está conectado com outros nodes que correm o mesmo programa, criando assim uma rede. Cada node de uma blockchain tem como tarefas: seguir as regras da rede; partilhar e sincronizar a informação; e manter uma cópia das transações confirmadas. Um node é considerado full node se armazenar localmente uma cópia de todos os dados da blockchain. Um full node tem a capacidade de verificar qualquer transação, sem necessidade de comunicar com outros nodes

 

(ir para o topo)


O

 

Open-source – significa “código aberto”. Um programa open-source é um programa cujo seu código é disponibilizado publicamente. Qualquer programador pode aceder ao código para consultar, editar e até mesmo para copiar.

 

Order Book – termo usado em trading que representa a lista de todas as ordens de compra e venda de um determinado ativo numa exchange, organizadas pelo preço.

 

Order Maker – termo usado em trading para indicar uma ordem de compra ou venda de um ativo, que aguarda o preço atingir um determinado valor desejado. Este tipo de ordens entram no Order Book e ficam a aguardar a sua execução. Normalmente custam menos taxas.

 

Order Taker – termos usado em trading para indicar uma ordem de compra ou venda de um ativo que é executada imediatamente ao preço de mercado. Este tipo de ordens não entram no Order Book e geralmente têm taxas mais altas.

 

(ir para o topo)


P

 

Peer-to-Peer (P2P) – tradução: “par-a-par” ou “ponto-a-ponto”. Termo usado para definir uma conexão direta entre um ponto e outro de uma rede, sem necessidade de uma autoridade (servidor) central, nem intermediários.

 

Pool Miner – coleção de mineradores que se agrupam para minerar coletivamente um bloco, e depois dividir a recompensa entre eles. Pools de mineração são uma ótima maneira para aumentar a probabilidade de êxito conforme a dificuldade aumenta.

 

Private Key – tradução: “chave privada”. É um código que faz par com uma chave pública e que garante o total acesso a uma carteira de criptomoedas. Quem tiver acesso à private key de uma carteira, tem o controlo total das moedas armazenadas nessa carteira.

 

Profit – Lucro obtido.

 

Proof of Stake (PoS) – tradução: “Prova de Participação”. É um método que prova que os utilizadores são elegíveis para adicionarem novos blocos à blockchain (mineração). De entre todos os utilizadores que participam no processo de mineração, este método favorece os que têm mais moedas em relação aos que têm menos.

 

Proof of Work (PoW) – tradução: “Prova de Trabalho”. É um método que prova que os utilizadores são elegíveis para adicionarem novos blocos à blockchain (mineração). Este método favorece aqueles que têm mais hash power (poder computacional).

 

Public Key – tradução: “chave pública”. A chave pública de uma carteira de criptomoedas corresponde ao código público que identifica a carteira (endereço da carteira).

 

Pump – termo usado quando o valor de um ativo sobe muito repentinamente. É o contrário de “Dump“.

 

(ir para o topo)


Q

 

(ir para o topo)


R

 

(ir para o topo)


S

 

Satoshi – termo usado para medir as frações de um Bitcoin. Menor divisão de um Bitcoin: 1 satoshi = 0,00000001 Bitcoin. Este termo vem do nome do pseudónimo usado pelo criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto.

 

Scalping – é uma estratégia de trading que consiste na abertura e liquidação rápida de posições nos diversos pares de ativos. Geralmente as posições ficam abertas entre 1 a 5 minutos.

 

Scrypt – é uma função hash criptográfica utilizada na mineração de algumas criptomoedas. Enquanto a função SHA-254 é usada na mineração do Bitcoin, a função Scrypt é usada na mineração de outras criptomoedas (por exemplo, o Litecoin).

 

SegWit – abreviatura para “Segregated Witness” (Testemunha Segregada). Expressão que se refere a uma solução que permite aumentar a velocidade de processamento numa rede blockchain. As soluções SegWit poderão ser potencialmente implementadas como “soft forks” das redes, melhorando-lhes o funcionamento sem necessidade de criar novas unidades monetárias e sem tornar as redes incompatíveis retroativamente. 

 

SHA-256 – função matemática e criptográfica que retorna uma impressão digital de um conjunto de dados (hash). SHA é a abreviatura de “Secure Hash Algorithm” e 256 indica o tamanho fixo da hash gerada pela função (256 bits, ou seja, 64 caracteres alfanuméricos). A função SHA-256 é utilizada na rede do Bitcoin, nomeadamente no processo de mineração.

 

Short – termo usado no trading que significa apostar na queda do valor de uma moeda.

 

Smart Contract – tradução: “Contrato Inteligente”. A blockchain do Ethereum surgir para permitir mais flexibilidade da sua rede, através dos smart contracts. Estes possibilitam os utilizadores interagirem num ambiente não confiável, e poderem verificar informações, sem necessidade de terceiros. 

 

Stablecoin – é uma criptomoeda que tem (quase) sempre um valor fixo. O termo deriva de “stable coin” que em português significa “moeda estável”. Os exemplos mais comuns de Stablecoin são aqueles em que 1 coin é igual a 1 dólar. 

 

Stop-Limit – modalidade de compra ou venda de um ativo, em que a ordem é executada apenas se o valor de mercado atingir determinado valor. Por exemplo: vender por 3500 se o valor de mercado atingir 3600. Outro exemplo: comprar por 2300 se o valor de mercado atingir 2200.

 

Swing Trading – é um tipo de estratégia usada nos mercados financeiros, que consiste em operar menos vezes mas com lucros maiores. Basicamente é feita uma ordem de compra de um ativo e “segurá-lo” numa carteira por alguns dias ou mesmo semanas, e depois vender-lo por um preço bem mais alto.

 

(ir para o topo)


T

 

Testnet – rede blockchain criada e usada para fazer testes. 

 

Token – tradução: “ficha”. É a representação de um bem ou utilidade, com um determinado valor, e reconhecida apenas num determinado ambiente. Um token pode ser criado através dos recursos e protocolos de uma altcoin.

 

Trading (ou Trade) – Operar nos mercados financeiros, comprando e vendendo ativos financeiros.

 

(ir para o topo)


U

 

(ir para o topo)


V

 

(ir para o topo)


W

 

Wallet – tradução: “carteira”. São aplicativos, em forma de software ou hardware, que tem como função armazenar e guardar as criptomoedas. O legítimo proprietário de uma wallet, e do seu conteúdo, é aquele que detém as chaves pública e privada dessa wallet.

 

Whale – tradução: “baleia”. É o termo usado em trading para referir-se a alguém ou alguma entidade que possui uma posição importante no mercado. Ou seja, são investidores com elevado capital que entram nos mercados e que podem influenciar o preço de um ativo rapidamente quando compram ou vendem esse ativo.

 

(ir para o topo)


X

 

(ir para o topo)


Y

 

(ir para o topo)


Z

 

(ir para o topo)


 

Gostavas de receber os novos artigos comodamente no teu email?

SUBSCREVE A NEWSLETTER!

Eu não faço SPAM! Receberás apenas novidades deste blog.

Obrigado por Seguires os Meus Artigos!